Outros sabores da Península Ibérica

Norte da Espanha
Patatas a la Riojana. Foto: divulgação Turismo Euskadi

Se o Sul nos remete a imagem da Espanha mais conhecida mundo afora, com a dança flamenca em Sevilha, ou o ensolarado e caliente litoral da região de Alicante, a porção Norte do país é totalmente arraigada nas tradições do País Basco, comunidade autônoma junto aos Pirineus que também tem sua porção em território francês. No lado espanhol da fronteira, as cidades de Vitória, Bilbao e San Sebastián destacam-se por sua importância histórica e cultural.

Norte da Espanha
Queijo Idiazabal, típico do Norte da Espanha. Foto: divulgação Turismo Euskadi

Enquanto Vitória se orgulha de ser o lugar onde Napoleão perdeu a batalha pela conquista da Península Ibérica, San Sebastián é anualmente um dos destinos mais visitados do mundo, quando é palco do seu Festival Internacional de Cinema e Bilbao, por sua vez, uma das cidades mais arrojadas da Europa, se gaba de estar no seleto grupo formado por apenas cinco cidades que abrigam um Museu Guggenheim. A obra, do arquiteto norte-americano Frank Gehry, se converteu no principal cartão postal de Bilbao para o mundo.

Norte da Espanha
Museu Guggenheim, em Bilbao. Foto: divulgação fundação Guggenheim

Mas o Norte da Espanha conquista o visitante também pela gastronomia. A culinária basca é uma das mais variadas e reconhecidas de toda a Europa. Pratos elaborados com o perretxico, uma espécie de cogumelo que cresce nas regiões mais elevadas, são saborosos, mas também muito caros. Nos vales, a base da culinária são os feijões de Tolosa e Guernica, caracterizados por sua cremosidade, mas também há pratos elaborados com feijões verdes e repolho.

Norte da Espanha
Bacalhau a la vizcaína. Foto: divulgação Turismo Euskadi

A mesa basca no vale é conhecida também por uma saborosa sopa de alho-poró com batatas. No litoral, a culinária ganha outras nuances, com o bacalhau, o atum e o caranguejo-aranha, estrelas absolutas de pratos que conquistam os mais exigentes paladares. E não podemos esquecer da pecuária, que leva à mesa basca carnes de altíssima qualidade, e também queijos conhecidos internacionalmente, como o Idiazábal e o Gaztazarra.

Tipicamente basco

Norte da Espanha
Patxarán, licor do fruto da endrina,

Quem visita o País Basco não deve deixar de provar algumas bebidas que só são possíveis degustar por lá. Entre as mais pitorescas estão a Sidra (Sagardoa), elaborada a partir da maçã. Conta a história que as terras do Norte da Espanha eram impróprias para o cultivo de uvas, e, por isso, a população usava a maçã para fermentar a bebida, que, mais tarde ganhou o título de Sidra do País Basco. É suave, um pouco adocicada e muito agradável se consumida bem gelada. Esqueça a sidra de baixa qualidade que normalmente encontramos nos supermercados. A produção é levada a sério, e conta, inclusive com espaços para degustação. Mas o visitante pode prova-la também nos bares e restaurantes da região.

Outra bebida típica, e uma das mais antigas é o patxarán, licor produzido a partir do fruto da endrina, macerada no anis. O patxarán é para quem aprecia bebidas fortes. O teor alcoólico pode alcançar entre 25 a 30 graus. Há versões que levam também canela e grãos de café. O txakoli é um vinho branco que estava um tanto quanto esquecido e vem sendo resgatado. É uma bebida leve e meio amarga. Elaborado com uvas ácidas, tem teor alcoólico razoavelmente baixo e é muito saboroso. Uma peculiaridade é que, além de estar reconquistando sua posição como bebida tradicional no Norte da Espanha, pode ser encontrado também no Chile.

Se o visitante aprecia vinho, deve provar o Rioja. O vinho é produzido com uvas da espécie Aragonez, cultivadas na Comunidade Autónoma de La Rioja e na província de Álava, ambas no Norte e também em Navarra, no Nordeste do país. Muitos dos vinhos Rioja são elaborados a partir da mistura de uvas de grandes regiões, mas há também os de pequenos terroirs e apenas uma qualidade, acentuando o sabor e dando uma característica única.

Norte da Espanha
Txakoli, vinho branco produzido no Norte da Espanha e também no Chile. Foto: divulgação Turismo Vasco

Os enófilos podem torcer o nariz, mas o kalimotxo, é uma das bebidas mais consumidas no Norte e Nordeste da Espanha. Nada mais é do que a mistura de vinho com refrigerante de cola e gelo. Vale lembrar que o vinho utilizado nunca é de grande qualidade e, por isso, é um drinque barato, mas não deixa de ser interessante. É uma boa pedida, principalmente em dias quentes, pois é muito refrescante.

Voando para Norte

A cidade de Pamplona, a 150 quilômetros de Bilbao, acaba de ampliar sua ligação com as principais cidades europeias. O Aeroporto de Noain/Pamplona, que mantém voos regulares da Iberia para o Aeroporto de Barajas, em Madri, foi conectado recentemente à Frankfurt, com três voos semanais da Lufthansa para o principal hub alemão. De Madri o voo dura 45 minutos e de Frankfurt são duas horas. Do Brasil, a Latam vende passagens de São Paulo e Rio de Janeiro, utilizando a Iberia como conexão em Madri.

Também é possível voar para Bilbao, também a 45 minutos de voo de Madri. A comodidade de voar para Bilbao, o terceiro maior aeroporto da Espanha, é a conexão quase que imediata, com uma espera de apenas duas horas e embarque no mesmo terminal de chegada, o 4S. Uma dica para quem deseja economizar é voar do Brasil para Bilbao. Além do maior número de voos, o preço da passagem é normalmente o mesmo para o trecho Guarulhos-Madri e, dependendo da época do ano, até mais barato.

Serviço
Companhias aéreas:

Latam: www.latam.com/pt_br
Iberia: www.iberia.com/br
Lufthansa: www.lufthansa.com/br/pt/Homepage

Outros Posts
VÍDEOS E REDES SOCIAIS
Assista ao Programa Eu Por Aí e se inscreva no nosso canal no YouTube

Curta nossa página no Facebook
Curta nosso perfil no Instagram


Eduardo Gregori

Eduardo Gregori é jornalista profissional especializado em turismo. Eduardo Gregori is a professional tourism journalist

Leia Também