Dicas para viajar de avião com crianças pequenas sem estresse

Crianças em viagens longas

Encarar voos longos e esperas em aeroportos pode não ser tarefa fácil para adultos. A missão é ainda mais complicada quando inclui crianças. Mas é possível transformar a viagem em algo divertido e fácil. Menu infantil, lounges kids-friendly e escolha antecipada do assento são alguns detalhes que fazem toda a diferença. Confira as dicas da aliança aérea Oneworld

√ – Reserve o menu das crianças
A maioria das companhias aéreas permite que os passageiros selecionem um menu para crianças em voos internacionais, mesmo antes de embarcar. Os menus infantis são especialmente selecionados para os paladares mais jovens e agradam as crianças.

√ – Relaxe nos kid-friendly lounges
Nos principais aeroportos do mundo há lounges fantásticos. Alguns apresentam facilidades especiais para crianças, incluindo salas de jogos com brinquedos, TVs e atividades para todas as idades. A maioria dos lounges também inclui vestiários bem equipados para bebês e alguns oferecem espaços para dar banho nos pequenos antes de um voo ou durante uma conexão.

Antes de ir ao aeroporto, verifique se há lounge kid-friendly e como garantir acesso a ele. Ser passageiro frequente de uma companhia membro de uma aliança aérea é ótima ideia. A oneworld, por exemplo – mais importante aliança de companhias aéreas da América Latina, pode dar acesso a mais de 650 salas VIP em todo o planeta, dependendo do status do cartão.

√ – Não se perca
Verifique com antecedência de onde decola seu voo. Muitos terminais são distantes e é necessário a utilização de ônibus ou trem para completar os trajetos. Saber exatamente para onde ir evita longos percursos desnecessários e atrasos. O site do aeroporto é sempre uma boa opção para obter mais detalhes.

√ – Confira e reserve o seu lugar
Em muitas companhias aéreas é possível para alguns passageiros escolher os assentos online e no momento da reserva, garantindo conforto e uma tarefa a menos no dia do embarque. Verifique como obter esse privilégio. É um detalhe que pode fazer muita diferença.

Outros Posts

Roteiro de volta ao mundo especial para enófilos

Volta ao mundo: Vinhedo em Bordeaux
Região de Bordeaux em momento próximo à colheita

Um roteiro de volta ao mundo para os amantes de vinho com certeza inclui as cidades nas quais são produzidos os rótulos mais desejados. Ao contrário do que se imagina, embarcar nessa jornada pode ser muito simples.

Planejando a viagem

A passagem de volta ao mundo, conhecida como RTW (Round The World), é um bilhete com vários voos comprados de uma só vez. Esse bilhete único liga os trechos que permitem que o viajante contorne o planeta, saindo e retornando de um mesmo lugar. O passageiro pode customizar o roteiro, escolhendo os países e lugares que deseja conhecer, de acordo com interesses específicos (neste caso os vinhos, é claro!).

Como todos trechos são decididos com antecedência, no momento da confirmação do bilhete, o pacote sai bem mais econômico do que comprar várias passagens para todos os países do roteiro. O custo vai depender do itinerário traçado, do número de paradas e das companhias aéreas escolhidas.

Só para se ter um exemplo, a oneworld – aliança de companhias aéreas, possui a tarifa Global Explorer, que permite percorrer todos os seis continentes (incluindo o de origem do viajante), enquanto a tarifa oneworld Explorer é mais flexível, calculada a partir das distâncias entre um ponto e outro.

Se a viagem passa pelos aeroportos das principais capitais do mundo ou utiliza poucos trechos, tem um custo menor. Um bilhete com 16 trechos (o número máximo permitido no pacote da empresa) sai em torno de 5 mil dólares.

Outro detalhe importante do bilhete de volta ao mundo é que as datas dos voos podem ser alteradas sem cobrança, desde que haja disponibilidade. Ou seja, depois da partida, dá para deixar os voos subsequentes em aberto, o que permite customizar ainda mais o percurso, à medida em que for avançando. Quanto à duração da aventura, a única regra é que ela deve durar no mínimo 10 dias e no máximo um ano.

Vamos para onde?

As possibilidades de roteiros incríveis para enófilos são inúmeras. Selecionamos uma jornada com paradas em três continentes e a garantia de um verdadeiro mergulho nos sabores marcantes de diferentes rótulos, sem perder paisagens exuberantes de tirar o fôlego.

AMÉRICA DO SUL

Chile

O Chile tornou-se uma máquina de produzir vinhos de todos os tipos – são, em média, 13 milhões de hectolitros por ano. O país sofre três grandes influências que definem as três principais áreas de vinhedos: o Oceano Pacífico, região chamada de Costa; a planície central, conhecida como Entre Cordilheiras e a mais próxima da principal cordilheira, não por acaso conhecida como Andes. No país a natureza mostra toda sua beleza em plantações que, em alguns casos, remontam a séculos atrás.

Mas não se trata apenas de visitar vinícolas e plantações rurais: o que mais impressiona no Chile é que o turista pode entrar no mundo da vinicultura saindo apenas alguns minutos da capital do país. Sim, de Santiago até a mais próxima região produtora, o vale do Maipo, aos pés da cordilheira dos Andes, são apenas alguns quilômetros.

Argentina

A sofisticação da região “norteña” impressiona. A cidade de Mendoza tem mais de cinco séculos de vinicultura. Tanto tempo assim foi suficiente para colocá-la entre as grandes regiões produtoras de vinho do planeta. Graças ao solo e clima perfeitos, Mendoza é um dos principais destinos do vinho na Argentina. A cidade conta com uma infraestrutura incrível para receber turistas de todas as partes. Das mais de mil adegas existentes, cerca de 100 oferecem visitas guiadas que podem ser incluídas no roteiro. A rota do vinho em Mendoza é dividida em três principais destinos: Maipú, Valle de Uco e Luján de Cuyo e oferece uma experiência imperdível.

EUROPA

França

O vinho está inserido no cotidiano do povo francês e é motivo de orgulho e prestígio internacional. Estima-se que a fabricação esteja acima dos 46 milhões de hectolitros — cada hectolitro equivale a 100 litros de vinho. De Borgonha a Champanhe, a França tem mais de 15 regiões vitivinícolas e dezenas de denominações de origem. As uvas do país oferecem uma imensidão de aromas, cores e sabores aos enófilos mais exigentes. Tintos, brancos, rosés e espumantes — especialmente os champanhes — têm lugar garantido em terras francesas.

Bordeaux é a zona de vitivinicultura mais importante do país, sendo responsável por rótulos míticos — os dos châteaux (como são chamadas as vinícolas por lá) da região do Médoc têm preços excepcionalmente altos, que podem passar de 500 euros. Apesar disso, o apelo turístico é mais inclinado para Champagne, que recebe visitantes de todo o mundo.

Portugal

Prova de vinho no Vale do DouroÉ impossível falar de Portugal e não lembrar da extensa variedade de vinhos. Afinal, são mais de 250 castas de uvas que proporcionam ampla oferta de todos os tipos. Os roteiros incluem não somente as adegas, vinhas e caves portuguesas, mas também uma viagem cultural pelas tradições e costumes das regiões, quintas e casarões históricos. No fim do verão, há também o período da colheita e de celebrações típicas. No Norte, o Vale do Douro é a grande referência em produção vinícola e naturalmente possui uma tradição em receber turistas, sobretudo o Alto Douro Vinhateiro, Patrimônio Mundial da Unesco, onde se produz o famoso vinho do Porto.

A Rota dos Vinhos Verdes, na região do Minho, também é destaque turístico. Além de descobrir as origens e sabores da milenar cultura vinícola, quem optar por esse roteiro poderá aproveitar praias, montanhas, vales e rios, além de uma paisagem única onde o verde, que dá nome ao vinho, é a cor dominante.

Outro grande ponto enoturístico de Portugal é o Alentejo, no Sul do país, onde se encontram vários dos principais produtores nacionais. A vinha corre ao longo de extensas planícies e acompanha olivais e florestas.

Itália

A Itália é parada obrigatória para apreciadores de vinho. Entre todas as regiões do país, a Toscana se destaca pela importância na produção da bebida. Um dos pontos imperdíveis é Laticastelli, próximo a Siena. Construído em um castelo, o hotel organiza tours e degustações em vilarejos medievais intactos, que abrigam vinícolas produtoras dos melhores vinhos da região e ainda são verdadeiras joias históricas.

Outro tesouro escondido é a cidadezinha de Chianti, que produz o tinto seco de mesmo nome, elaborado com as valorizadas uvas Sangiovese. O vilarejo, entre Siena e Florença, é um verdadeiro espetáculo à parte, por apresentar uma sucessão de colinas e vinhedos num tom verde-jade, único no mundo. Há ainda a região produtora de Montalcino, que por si só já vale a visita: foi declarada Paisagem Cultural Patrimônio Mundial da UNESCO. As possibilidades de tours e degustações seguem por Asciano e Pienza, encantando qualquer enófilo.

ÁFRICA

África do Sul

Volta ao Mundo: Barris na produção de vinho sul-africana
Barris na produção de vinho sul-africana

A África do Sul é um convite para um “safári” em cerca de 100 mil hectares de vinhedos distribuídos em aproximadamente 340 adegas e propriedades. O país traz em seus vinhos uma mistura do contemporâneo com o tradicional, conquistando muitos paladares.

A rota dos vinhos tem na região de Franchhoek um de seus mais exuberantes pontos. É ali que está a vinícola Plaisir de Merle, uma das maiores do país, com 974 hectares e diversas variedades de vinhos tintos, brancos e espumantes.

Outra parada obrigatória é a vinícola The House Of JC Le Roux, principal fabricante de espumantes da África do Sul, localizada no coração do Vale Devon. Perto dalí fica também a bela vinícola Neethlingshof, que oferece diversas opções de harmonizações aos visitantes e sabores fantásticos.

 

Outros Posts

Azul e Ethiopian firmam codeshare

Azul Linhas Aéreas

Codeshare permitirá a aérea etíope usar o código ET em operações da Azul partindo de São Paulo

A Azul é a nova parceira da Ethiopian Airlines num acordo de codeshare (compartilhamento de códigos), que permitirá maior comodidade aos clientes que desejam viajar pelas diversas rotas que a companhia brasileira oferece a partir do aeroporto de Guarulhos. Desde 25/09, clientes poderão adquirir bilhetes direto pelo site da Ethiopian para voar, a partir de 1 de outubro, inicialmente para sete destinos brasileiros operados pela Azul. Num futuro próximo, a Azul também poderá comercializar os voos da Ethiopian em sua vasta malha aérea na África.

“O codeshare com a Ethiopian Airlines será muito importante para reforçar nossa imagem internacional, especialmente para Clientes da África que queiram conhecer o Brasil. Agora, eles poderão usufruir de ampla comodidade na compra dos bilhetes e emissão de cartões de embarque, além do padrão de serviço de excelência com a Azul em voos pelo nosso país”, afirma Marcelo Bento, diretor de Alianças da Azul.

Girma Shiferaw, vice-presidente de Alianças e Estratégia Corporativa da Ethiopian Airlines comenta, “gostaria de agradecer nossos parceiros na Azul por viabilizarem esse acordo de codeshare. Essa parceria vai permitir que nossos Clientes viagem entre a África e o Brasil com a melhor conectividade possível e para os diversos destinos brasileiros serviços pela Azul. Esse acordo também vai beneficiar as relações entre brasileiros e africanos, os negócios, investimentos diversos e o turismo. Como uma companhia pan-africana de sucesso, estamos dispostos a colaborar com as operadoras aéreas de diversos países com objetivos comuns e esforços conjuntos para expandir nossa presença em diferentes destinos em todo o mundo e esse é um grande marco para nós”.

Inicialmente, a Ethiopian Airlines poderá colocar seu código nas operações da Azul partindo de São Paulo (Guarulhos) para Belo Horizonte, Curitiba, Goiânia, Porto Alegre, Cuiabá, Foz do Iguaçu e Florianópolis. As rotas oferecem conexões rápidas e cômodas para os Clientes que saem de Adis Abeba, capital da Etiópia, para São Paulo.

Em seus voos no Brasil, a Azul conta com um serviço de bordo único, a começar pela TV SKY ao vivo nos jatos Embraer, com mais de 40 canais gratuitos. Também sem custo adicional, os Clientes podem desfrutar de um variado serviço de bordo, que envolve lanches e bebidas.

Operações – A Ethiopian Airlines tem uma extensa operação voando para mais de 110 destinos no mundo A Azul, por sua vez, concentra em São Paulo (Viracopos) e Belo Horizonte seus dois maiores centros de distribuição de voos, de onde oferta mais de 200 ligações diárias para mais de 80 destinos brasileiros.

Outros Posts

Avianca Brasil voará para Nova York e começa cobrança de bagagens

Avianca

A Avianca Brasil anunciou o início das vendas de passagens para os voos diretos diários que passará a oferecer para Nova York, a partir de 15 de dezembro.

Além disso, a companhia aérea implementou uma reestruturação das classes tarifárias para voos nacionais e internacionais, que será disponibilizada para os consumidores a partir desta segunda-feira, 25 de setembro.

Voos diretos para Nova York

De acordo com a companhia, a decisão de incluir Nova York entre os mercados com voos diretos está relacionada ao seu potencial de demanda, que hoje é um forte destino turístico e de negócios.

“Hoje já oferecemos voos diretos internacionais para Bogotá, na Colômbia; Santiago, no Chile; e Miami, nos Estados Unidos e a procura pela nossa oferta tem sido muito positiva, acima das nossas expectativas. Nova York veio complementar esse plano de expansão. Nosso objetivo é atender tanto o turista quanto o viajante de negócios, que buscam por um serviço diferenciado”, explica Frederico Pedreira, presidente da Avianca Brasil.

A partir de 15 de dezembro, a empresa operará voos diários diretos para o aeroporto internacional John F. Kennedy, com saídas de São Paulo (Guarulhos). Os voos serão realizados com aviões Airbus A330-200, configurados em duas classes de serviço: 32 assentos na Business (Executiva) e 206, na Econômica.

Além da privacidade e mais conforto na classe Executiva, já que os assentos são dispostos na configuração 1-2-1 e reclinam até 180 graus, os passageiros têm à disposição um serviço de bordo diferenciado, com cardápio de refeições especial e bebidas, além dos principais jornais e revistas do Brasil. As poltronas oferecem ainda controle remoto para o sistema de entretimento on-demand, display touschscreen de 15 polegadas, painel de controle do assento, iluminação auxiliar, mesa de apoio, tomadas, conexão USB, porta-objetos e descanso ajustável para a cabeça.

Na classe Econômica, configurada confortavelmente no formato 2-4-2, os passageiros têm entretenimento com monitores individuais touchscreen de 9 polegadas, além de controle remoto, tomada, entrada USB, mesa e descanso ajustável para cabeça e para os pés. Em ambas as classes, os viajantes encontram o sistema de entretenimento com uma enorme variedade de filmes, séries e jogos.

Reestruturação tarifária

A outra novidade anunciada pela empresa é a reestruturação de tarifas que estará disponível para o consumidor brasileiro nesta segunda-feira, 25 de setembro. A partir desta data, a Avianca passará a contar com três famílias: ECONOMY, FLEX, que incluem a franquia de uma ou duas peças de 23kg cada, respectivamente, e a opção PROMO, focada no passageiro que não precisa despachar bagagem e que quer ter acesso a preços ainda mais competitivos.

“Nosso objetivo foi trazer novos clientes para a empresa e atender a um público que não precisa despachar bagagem, oferecendo a ele o mesmo nível de serviço que ofertamos ao mercado atualmente, com preços ainda mais competitivos”, detalha Frederico.

Das três famílias tarifárias que serão comercializadas pela empresa, apenas a PROMO não incluirá franquia de bagagem. Essa é uma tarifa especialmente desenvolvida para quem compra com maior antecedência e viaja apenas com uma bagagem de mão com até 10 kg. Nela, os clientes poderão comprar a franquia separadamente, mesmo após a aquisição do bilhete, em todos os canais de vendas da companhia aérea. Se a compra da peça adicional ocorrer com até seis horas de antecedência ao voo, o cliente terá um desconto de 50% na compra realizada nos canais de atendimento da Avianca Brasil (site, aplicativo, lojas e Central de Vendas) e em agências de viagens. Neste caso, o preço de uma peça de até 23kg custará R$ 30,00. Para compras com antecedência inferior a seis horas do voo, este valor será de R$ 60,00 por peça.

Para os voos internacionais, as nomenclaturas utilizadas serão as mesmas do mercado doméstico e estarão divididas em PROMO, ECONOMY e FLEX, além da BUSINESS PROMO e BUSINESS, que são usadas para viagens em cabine executiva.

Nos voos de ou para a Colômbia e Chile, o cliente terá direito a uma peça de 23 kg para viagens em classe econômica e duas peças de 23kg para viagens em cabine executiva. A franquia para voos de ou para os Estados Unidos será de duas peças de 23kg para viagens em classe econômica e três peças de 23kgs para viagens em cabine executiva. Caso o cliente queira comprar uma franquia de bagagem adicional após a compra de sua passagem internacional, ele também poderá fazê-lo separadamente.

Ao adquirir a franquia com até seis horas de antecedência ao voo, o preço de uma peça de até 23kg custará US$ 20,00* para voos de ou para Colômbia ou Chile e US$ 92,00* para voos de ou para os Estados Unidos. Para compras com seis horas ou menos de antecedência ao voo, os valores passarão a ser US$ 40,00* para voos de ou para Colômbia ou Chile e US$ 185,00* para voos de ou para os Estados Unidos.

A compra de bilhetes e mais detalhes estão disponíveis no site da Avianca Brasil (www.avianca.com.br), pelos telefones 4004-4040 (São Paulo e principais capitais) ou 0300-789-8160 (demais localidades), e via agências de viagens.

* Os valores para voos internacionais serão convertidos em reais (R$), de acordo com a cotação do dólar do dia da compra.

 

Outros Posts