Aplicativos ajudam turistas antes e durante a viagem para Itália

Aplicativos de viagens para smartphones

Quem vai para a Itália pode contar com uma boa ajuda, na palma da mão, literalmente. Os inúmeros aplicativos disponíveis têm sido uma ótima solução não só para quem se aventura a viajar por conta própria, mas também para aqueles que viajam com todo o suporte em terra, mas desejam saber tudo do destino, antes e durante a viagem.

No site do turismo da Itália há um espaço que traz uma seleção de aplicativos de de algumas regiões da Itália. O viajante pode baixar no smartphone e começar a usar.  Para se ter uma ideia, existem vários aplicativos para quem vai para a região de Abruzzo. “Abruzzo Rai Local” (IOS e Android) traz mapas, sugestão de itinerários, eventos que ocorrem no local durante o período de estadia. Quem escolheu a região para praticar esqui, por exemplo, acha no Ski Abruzzo (só para IOS) as estações de esquis disponíveis e informações específicas sobre elas, como o clima, a tamanho (quilometragem) da descida, guias, etc.

Já para quem vai a Toscana, o Tuscany+ (IOS) traz mapas, principais atrações da região, eventos da época e dicas de passeios. Para quem escolheu conhecer Marche, e sua religiosidade, também conta com um aplicativo próprio para isso. O “Spiritualitá e Meditazione” (IOS e Android) traz um guia completo para conhecer locais para praticar a fé em vales, costas ou lugares mais isolados. Igrejas, restaurantes e hotéis também são indicados no aplicativo conforme a localização.

Além das informações por região, existem também os chamados aplicativos temáticos. Boas dicas são um dedicado a museus da região da Umbria, como o Musei HD (IOS), ou especialmente criado para amantes do jazz, como o Umbria Jazz (IOS) e um terceiro que fala dos eventos que acontecem em território italiano (Eventi e News – IOS).

A Enit espera um aumento de pelo menos 20% no número de brasileiros em visita à Itália em 2017, em comparação com o ano passado. Os dados de 2016 ainda não foram fechados, mas em 2015 o país recebeu 873 mil brasileiros, um aumento de 14,4% em relação a 2014. Em número de pernoites, foram 2,2 milhões, uma alta de 16,9% em relação a 2014. No ano passado, os gastos dos brasileiros na Itália cresceram 5,7% em relação a 2015. Além disso, o Turismo da Itália também promove, este ano, os chamados burgos, pequenos vilarejos que ficam próximos a grande cidades. Este projeto se chama #italianvillages, uma oportunidade de fazer uma viagem diferente, curtindo os grandes centros, mas vivendo bem a cultura local.

Outros Posts

Caminho de Santiago terá oficina em São Paulo

Caminho de Santiago

País já ocupa a 11ª posição no ranking de nações que mais enviam peregrinos para o Caminho de Santiago, rota  que cruza o norte da Espanha

Você trocaria o conforto de casa, os seriados favoritos, as facilidades do delivery, o happy-hour do fim do dia com os amigos para caminhar, todos os dias, cerca de 25 quilômetros em um país estranho? Parece loucura, mas essa foi a opção de 4.365 mil brasileiros que, em 2016, fizeram o Caminho de Santiago de Compostela, na Espanha. Em 2012, esse número era de 2.229 – um aumento de 98% em apenas cinco anos.

De acordo com dados da Catedral de Compostela, o Brasil passou da 13ª para a 11ª no ranking de países que mais enviam viajantes para a rota que tem, no total, cerca de 800 quilômetros (Caminho Francês). “O Caminho de Santiago não é uma viagem, é um projeto de vida. Ao longo de 30 dias, o peregrino tem a oportunidade de buscar-se a si mesmo. É a forma com que muitas pessoas recorrem para virar a página e encontrar novos significados para suas vidas”, diz Daniel Agrela, autor do livro O Guia do Viajante do Caminho de Santiago.

Para esclarecer as dúvidas de brasileiros que querem fazer o Caminho de Santiago, Agrela ministrará a terceira edição da Oficina Para Peregrinos, nos dias 7 e 8 de outubro em São Paulo. “O objetivo é detalhar as informações sobre a rota para que o viajante possa aproveitar ao máximo esse período sabático. Como é sabido, a viagem tem uma complexidade: é preciso, em média, 30 dias para percorrer todas as etapas. Para isso, é necessário estar preparado”, explica Agrela, que já realizou duas vezes o Caminho.

De acordo com ele, o curso abordará temas de grande preocupação dos interessados em fazer o Caminho. São eles: planejamento financeiro para realizar a viagem, como é o dia a dia, em que época do ano ir, onde dormir, qual a melhor forma de se alimentar, o que levar na mochila, além de diversas questões relacionadas à segurança e infraestrutura do trajeto.

Caminhada preparatória

No último dia da oficina os participantes poderão ter a experiência de sentir um pouco do que encontrarão no Caminho de Santiago. “Faremos uma caminhada preparatória de 10 km em área de Mata Atlântica preservada em São Paulo. O objetivo é dar dicas práticas de como enfrentar os muito quilômetros diários da rota de Compostela, além de apresentar um pouco da atmosfera que se pode sentir na peregrinação”, comenta Agrela.

Serviço:
Oficina Para Peregrinos
Datas: 7 e 8 de Outubro
Valor: R$ 549,00

Sobre o Caminho – O Caminho de Santiago começou a fazer história quando, há doze séculos, foram encontrados os restos mortais do apóstolo Tiago – que hoje estão depositados na igreja da cidade de Santiago de Compostela. Em 1987, esse trajeto foi declarado Primeiro Itinerário Cultural Europeu e, mais tarde, Patrimônio da Humanidade. Hoje deixou de ser um roteiro percorrido apenas por religiosos e passou a fazer parte do destino de pessoas que têm como foco o autoconhecimento.

Sobre o autor
Daniel Agrela é viajante profissional. Formado em jornalismo, iniciou sua vida de mochileiro em 2002. Apaixonado por viajar e escrever usa o faro de repórter para descobrir novas culturas pelo mundo e as retrata em seus textos. De todos os destinos já explorados por ele, o mais marcante e revelador foi à rota de Compostela, motivo pelo qual O Guia do Viajante do Caminho de Santiago – uma vida em 30 dias é seu livro de estreia. Percorreu o Caminho de Santiago (Caminho Francês) duas vezes.

Outros Posts

Destinos mais acessíveis no primeiro semestre


Usuários do aplicativo Voopter que buscaram os melhores preços para passagens aéreas nacionais durante o primeiro semestre de 2017 encontraram nas capitais São Paulo (SP), Rio de Janeiro (RJ), Brasília (DF), Curitiba (PR) e Belo Horizonte (MG) as melhores ofertas, em média. Para a capital paulista, o preço médio de um bilhete foi de R$ 645, sendo que houve ocasiões em que foi possível voar para São Paulo por R$ 120. O levantamento feito pelo Voopter Data levou em conta as pesquisas dos usuários do comparador de preços de passagens aéreas entre 1º de janeiro e 14 de julho.

Por outro lado, as cidades para onde viajar de avião exigiu mais poder aquisitivo dos passageiros durante o mesmo período foram Rio Branco (AC), Vitória da Conquista (BA), Fernando de Noronha (PE), Natal (RN) e Macapá (AP). Embora os preços dependam de variáveis, como origem, data da viagem e antecedência, os destinos acima foram os que tiveram as médias de preço mais altas.

Seguindo a mesma linha, os preços também estavam mais altos para quem buscou passagens aéreas para Bangkok, na Tailândia, Sydney, na Austrália, Pequim, na China, Tóquio, no Japão, e Cidade do Cabo, na África do Sul. As sul-americanas Montevidéu, no Uruguai, Buenos Aires, na Argentina, e Santiago, no Chile, foram as cidades para onde voar foi mais barato neste semestre, com médias de preço de R$ 1.002, R$ 1.157 e R$ 1.422, respectivamente. Miami e Nova York, nos Estados Unidos, completam a lista dos destinos internacionais mais em conta.

Outros Posts

Lisboa supera Buenos Aires nas buscas de viajantes

Lisboa

Um estudo elaborado pelo Voopter Data, ferramenta de extração de dados baseados nas pesquisas dos usuários no aplicativo, site e parceiros do buscador Voopter, revelou que Lisboa, em Portugal, foi o destino internacional mais buscado dentre as mais de 5 milhões de pesquisas entre janeiro e julho de 2017. Foram 76.177 pesquisas sobre a capital lusitana contra 75.810 para Buenos Aires, na Argentina, e 64 mil para Santiago, no Chile. O top 10 ainda inclui Paris, Miami, Nova York, Madri, Montevidéu, Roma e Londres.

A tendência é reforçada por um levantamento do Instituto Nacional de Estatística (INE) português, que revela que no primeiro quadrimestre de 2017, houve um aumento de 67% no número de turistas brasileiros em Portugal.

Embora seja conhecida por oferecer uma experiência incrível e financeiramente viável aos turistas, a cidade campeã de pesquisas para o exterior mostra números muito abaixo dos destinos nacionais. Florianópolis, décima colocada no ranking de destinos brasileiros mais buscados, soma 137.524 pesquisas, número 80% maior do que o registrado internacionalmente. A capital paulista, que continua liderando a lista de destinos nacionais mais buscados, conta com 458.529 pesquisas registradas. As outras cidades brasileiras mais buscadas no primeiro semestre do ano são Rio de Janeiro, Recife, Fortaleza, Salvador, Brasília, Curitiba, Porto Alegre e Belo Horizonte.

No que diz respeito às rotas mais procuradas, a cidade de São Paulo registra liderança de origem tanto para viagens domésticas quanto internacionais. A capital paulista é ponto de partida de 328.841 pesquisas para rotas nacionais e de 173.804 pesquisas para rotas internacionais.

Por fim, os dados coletados pelo Voopter Data mostraram que, embora a antecedência em pesquisas por passagens internacionais seja maior do que por viagens domésticas, foi notado um aumento nas buscas de última hora para os períodos de férias escolares, para destinos nacionais e internacionais, ante o mesmo período do ano passado.

Outros Posts