Carretera Austral rasga a Patagônia Norte

A viagem para o Norte da Patagônia chilena começa por Santiago e o destino vai depender do tamanho da aventura escolhida pelo viajante, percorrendo desde os 1,2 mil quilômetros de extensão da Carretera Austral, estrada que liga as cidades de Puerto Montt à Villa O?Higgins, ou partes dela. Quem busca aventura, deve incluir na rota uma passagem por Chaitén, cidade varrida do mapa em 2008 após a explosão do vulcão do mesmo nome, e que vem sendo reconstruída aos poucos. Peguei  a estrada em Balmaceda, 500 quilômetros à frente de Puerto Montt. Os 55 quilômetros até Coyhaique, capital da região de Aysén, dão uma boa visão da magnitude da Patagônia. Montanhas com neves eternas, cachoeiras, áreas verdes a perder de vista e a estrada serpenteando toda essa beleza natural resumem o que se esperar. Esqueça a vida noturna, as compras, o agito das grandes cidades e, em alguns lugares, até mesmo o contato com a civilização. Sinais de celular e internet são artigos raros por lá. Para conhecer bem a Patagônia Norte é preciso pegar a estrada por conta própria ou contratar um guia motorizado. Não há linhas de ônibus que façam o percurso e é preciso cautela, não porque a estrada seja ruim, mas por ser uma região praticamente isolada, o número de veículos que transita por ela diariamente pode ser contado nos dedos das mãos. Isso sem falar do motorista, que precisa ter experiência em pistas de terra e cascalho. Ter uma noção prévia do caminho é imprescindível.

Asd catedrais de mármore
As catedrais de mármore

Quem partiu desde Puerto Montt vai encontrar depois de Chaitén, o Parque Nacional Queulat, local onde é possível ter uma impactante ideia dos efeitos da mudança climática que acomete o planeta. Uma monumental cascata mostra a rápida desintegração da geleira Queulat, que fica pendurada na montanha. Mais adiante, pela janela vê-se rapidamente algumas pequenas vilas, como Amengual e Mañihuales e cidadezinhas simpáticas como Puerto Aysén e logo Puerto Chacabuco, cidade de onde parte o barco para um dos passeios mais impressionantes dessa viagem. A bordo do catamarã Chaitén, em uma viagem que dura aproximadamente oito horas (entre a ida e a volta), adentra-se a Laguna San Rafael, onde está uma das geleiras mais visitadas do Chile. São setenta metros de altura e um quilômetro e meio de gelo. A embarcação passa o dia inteiro frente ao paredão congelado e todos os passageiros têm a oportunidade de se acercar dele em botes, além de passear entre formações geladas.

Outro passeio na região é o Parque Aikén del Sur. A área, de 250 hectares, é dona de uma rica biodiversidade. A visita dura aproximadamente duas horas e percorre trilhas suaves em meio à vegetação nativa. A melhor parte da caminhada é justamente no fim, onde fica a cascata Barbas del Viejo. Mas o final mesmo fica por conta de um almoço, cujo menu inclui cordeiro patagônico assado no fogo de chão.

De volta à estrada, a próxima parada é Coyhaique, um município assentado bem no meio de amplos pampas verdejantes. É uma das poucas referências de cidade grande que se tem frente à imensidão natural. O lugar tem um charmoso Centro, com feira de artesanato, comércio, bancos e alguns restaurantes. Dali vale uma visita ao Cerro Castillo onde fica o monumento Rochas das Mãos, figuras feitas por nativos, que deixaram suas mãos pintadas há pelo menos 15 mil anos. Pelo caminho surge o rio Ibañez, que corta um largo e formoso vale. Uma parada no mirador é de tirar o fôlego, ao revelar toda a amplitude da região. Uma peculiaridade do Ibañez é que nele está depositada boa parte da cinza expelida pelo vulcão Hudson, que entrou em erupção em 13 de agosto de 1991, cobrindo com até um metro de cinzas grande parte da região.

Lago no meio da Carretera Austral
Lago no meio da Carretera Austral

Alguns quilômetros adiante fica o lago General Carrera, que no lado argentino recebe o nome General San Martin. E é no maior lago do Chile que ficam as mais belas obras de arte esculpidas pela natureza: as catedrais de mármore. São formações rochosas que há milênios estão em processo de escavação pelas águas. Ao cortar o mármore, a água abre galerias, que de tão amplas, podem ser visitadas em botes. E dá para desembarcar dentro da rocha e comprovar de perto o velho ditado: ?água mole em pedra dura, tanto bate até que fura?. Os passeios para as catedrais são contratados na cidadela de Puerto Rio Tranquilo, lugarejo de passagem que também serve para reabastecer o carro, comer e comprar alguma provisão para a viagem.

Laguna San Rafael
Laguna San Rafael

Seguindo a Carretera, é hora de pegar linha e vara e pescar no Rio Baker. Com uma cor esmeralda, o rio fica no povoado do mesmo nome. As águas geladas são propícias à truta, que depois pode ser servida em uma deliciosa receita Mapuche. No caminho chegamos à Villa O?Higgins, na parte final da estrada. O trecho é o mais perigoso. Os guias alertam para que este trajeto nunca seja feito de noite e nem em dias de fortes chuvas. Além da estrada, para chegar a O?Higgins é necessário pegar uma balsa. O povoado tem serviços básicos e hospedagem. A viagem pode seguir para a Argentina, já que esse trecho é próximo da fronteira, ou rumar ainda mais para o Sul do Chile.

 

Loberias Del Sur
Se o cansaço apertar, um pouco de luxo não faz mal a ninguém. O hotel Loberias Del Sur, em Puerto o Chacabuco, ostenta com orgulho suas merecedoras 4 estrelas. Apartamentos confortáveis, academia, sauna, piscina e restaurante com menu assinado por chef são atrativos para quem quer sair um pouco da vida dura da estrada. Uma facilidade é a localização, bem no porto de onde sai o catamarã para a Laguna San Rafael e de onde também partem as excursões para o Parque Aikén del Sur. www.loberiasdelsur.cl

Tehuelche Patagonia Lodge
Aconchegante lodge em Coyhaique, especialmente construído para pescadores, pois fica bem em frente ao Rio Simpson, mas que atende perfeitamente ao turista comum. Conforto para poucos, são apenas 10 quartos com vista para o campo ou montanha. O restaurante serve comidas típicas da Patagônia feitas à lenha e tem até um espaço para assar o cordeiro patagônico na brasa. Tudo isso, regado com um bom vinho chileno. www.tehuelchepatagonialodge.cl

patagonia08
Cabañas Lago Elizalde

Hospedagem em cabanas para 2 até 4 pessoas, a 33 quilômetros de Coyhaique. Com vista para o Lago Elizalde, as cabanas ficam em uma região de montanhas e bosques propícios para caminhadas, passeios de bicicleta e a cavalo. No lago, a atividade é a pesca da truta. www.lagoelizalde.cl

Terra Luna Lodge
Instalado a 290 quilômetros de Balmaceda, o charmoso lodge às margens da baía de Puerto Guadal é o mais procurado por europeus, por ter uma infraestrutura completa, com sauna, hidromassagem, restaurante, aluguel de bicicletas e botes. Os bangalôs em meio à natureza fazem o lugar ideal para quem busca o relaxamento total e atividades esportivas, como caminhada pelo bosque, pescaria e passeios de caiaque. www.terraluna.cl

Outros Posts

Eduardo Gregori

Eduardo Gregori é jornalista profissional e consultor de viagens. Eduardo Gregori is a professional journalist and travel consultant.

Leia Também